5 Coisas para avaliar antes de pedir demissão

Existem duas formas de deixar um emprego: pedindo demissão ou sendo demitido. Ser demitido é quando a empresa não deseja mais o funcionário, deixando para eles alguns benefícios. Já o famoso “pedir para sair” envolve alguns diferenciais que necessitam de análise com cautela. Saiba mais!

O que é pedir demissão?

Pedir demissão é a finalização da prestação de serviços de um empregado a uma determinada empresa. Todos os funcionários com carteira assinada podem desistir do emprego a qualquer momento. Mas para isso devem avisar antes. Este aviso antecipado é chamado de ‘aviso prévio’. 

O pedido de demissão deve ser feito sempre ao contratante o mais breve possível. Não é uma tarefa fácil e muitas vezes pode ser um drama do chefe quando gosta do funcionário. Mas se é uma necessidade do empregado ele possui o direito de sair quando desejar da empresa. 

No currículo não muda nada. Hoje em dia não é mais considerado ‘fatal’ ter uma demissão na carteira assinada. As duas formas são aceitas pelo mercado e não há preconceito em ambos os casos. Tudo depende do motivo da saída da outra empresa, o que será investigado pelo contratante.

Conheça 5 Coisas para avaliar antes de pedir demissão

Antes de levar adiante o pedido de demissão é preciso pensar em alguns pontos importantes. As cinco coisas que todo trabalhador deve saber antes de pedir demissão são:

Ele perde direito ao seguro desemprego

O seguro desemprego só é dado ao funcionário com carteira assinada que foi demitido, e não para quem pediu para sair. O pagamento mensal do fundo de amparo ao trabalhador vai de um a seis meses dependendo do tempo de dedicação ao antigo emprego. Mas se foi um pedido partindo do funcionário, não há direito. 

Existe outra situação que também não permite um seguro desemprego: demissão por justa causa. Se foi culpa do contratado a demissão ele não terá direito ao benefício. 

Ele precisa avisar antes

O aviso prévio foi instituído para a empresa poder ser organizar em sua contratação. Ela necessita repor o funcionário de saída e isso envolve um tempo em seleção, treinamento e assim por diante. Em alguns casos o funcionário de saída vai treinar o novo ocupante da vaga. 

Não cumprir o aviso prévio pode gerar processo para o trabalhador e perda dos direitos trabalhistas. Pode se tornar uma demissão por justa causa por abandono de função. 

Cuidado com as falsas promessas

Muitos empresários e amigos podem prometer vaga de emprego. Mas se não há um contrato já exibido, pode ser uma falsa promessa. Pedir demissão é um caminho sem volta e a renda vai apertar por alguns meses. Analise com cautela. 

Analise as perdas de benefícios

Trabalhar em uma empresa envolve alguns benefícios como vale alimentação, transporte, plano de saúde, dentre outros. Mesmo estando em uma função não agradável, algumas mudanças nos benefícios podem causar problemas familiares. 

O plano de saúde, por exemplo, envolve um tempo de carência. Abandonar o plano com a esposa dando a luz em alguns meses pode não ser uma boa ideia. 

O mercado pode não estar tão em alta

As vezes algumas propostas parecem realmente tentadoras, como abrir sua própria empresa e ser seu patrão. Mas o mercado financeiro brasileiro não está dos melhores e pode ser mais seguro ter um emprego estável a largar e partir para uma empreitada solo. Analise com calma.